Preletor: Pb. Aguinaldo
Texto Base: Jó 2:9-10
Título: O que nossa Boca tem Proferido

9  Então sua mulher lhe disse: Ainda reténs a tua sinceridade? Amaldiçoa a Deus, e morre.
10 Porém ele lhe disse: Como fala qualquer doida, falas tu; receberemos o bem de Deus, e não receberíamos o mal?

Ouça a Mensagem

São várias as referências encontradas na Bíblia que falam sobre o poder da palavra. Isso porque a palavra pode mover o mundo e mudar o rumo das vidas, fazendo maravilhas ou estragos. Se a palavra proferida for construtiva, cheia de misericórdia, bem intencionada e dita sob meditação será uma palavra que irá gerar bons frutos, mas uma palavra egoísta ou dita sem reflexão certamente será nociva e poderá causar grandes danos.

Desta forma, temos dois tipos de palavras: as dos justos e as dos ímpios, sendo que os justos usam suas palavras de forma a agradar a DEUS e os ímpios a usam de forma errada, causando a ira do SENHOR, conforme veremos mais detalhadamente nos tópicos seguintes.

I- O uso incorreto da boca

O ímpio tem prazer em usar a sua boca para proferir palavras frívolas, que machucam, que destroem planos e que secam vidas. O homem perverso com a sua boca levanta contendas, espalha calúnias e separa os maiores amigos. O insensato murmura e blasfema com as suas palavras. O injusto amaldiçoa o homem, zomba do justo, persuade e faz tropeçar aqueles que lhes dão ouvidos. Mas a Bíblia nos diz que “a boca do tolo é a sua própria destruição” (Pv 18:7).

Em Provérbios 6:16-19 encontramos seis coisas que aborrecem ao SENHOR e uma que ELE abomina. Dentre as seis atitudes que aborrecem a DEUS, duas se referem diretamente ao uso da língua para mentir.

A atitude que DEUS abomina é o semear a contenda entre os irmãos, atitude também referente ao uso incorreto da boca.

Por isso, irmãos, devemos ser cautelosos ao falar se não queremos que a ira do SENHOR venha sobre nós.

II- O uso correto da boca

O justo busca a sabedoria que vem de DEUS, atenta aos Seus mandamentos, medita no que há de falar e procura refrear a sua língua. O homem sábio se desvia das tortuosidades da boca, se afasta das perversidades dos lábios e a sua boca é um manancial de vida. O misericordioso abre a boca em favor dos aflitos, pobres, injustiçados e necessitados. Com a sua boca glorifica e bendiz ao PAI os homens que são retos e as suas palavras abençoam as outras pessoas. O homem íntegro produz sabedoria em abundância com o seu falar e apascenta a muitos. O homem virtuoso guia o seu companheiro e promove a segurança através de seus conselhos. O longânimo diz palavras brandas que desviam o furor. O homem direito, com a sua boca confessa as suas transgressões, as deixa e alcança misericórdia.

Na boca daqueles que temem e servem a DEUS deve haver palavras de paz, amor, conforto e, nos momentos necessários, de repreensão também. Aqueles que fazem o uso correto da boca agradam a DEUS (Pv 23:16), são sinceros, verdadeiros, amigos e imitadores de CRISTO.

III- O peso do uso de nossas bocas

Precisamos atentar a cada coisa que dizemos. A forma como usamos a nossa boca é observada em todo o tempo pelo SENHOR. ELE já nos adverte em Sua palavra que “a morte e a vida estão no poder da língua” e que “aquele que a ama comerá do seu fruto” (Pv18:21). É nos dito também neste mesmo livro que “o lábio de verdade ficará para sempre, mas a língua mentirosa dura só um momento” (Pv 12:19).

JESUS nos diz em Mateus 12:36-37 que nós daremos conta das palavras que falamos e por elas seremos condenados ou justificados no Dia do Juízo. Então, é grande o peso daquilo que falamos.

Conclusão

O que sai de nossas bocas são mais do que simples sons. O que dizemos são palavras que têm poder. A nossas bocas devem ser usadas para proclamar as boas novas e curar vidas. Como filhos de DEUS nós precisamos usar nossas palavras para o bem.

Que os nossos corações estejam cheios do amor de DEUS e de tudo aquilo que agrada ao PAI e que os nossos lábios sejam purificados pelo SENHOR para produzirem bons frutos e refrigério para as almas.

 

 

  1. mary lucia lopes da silva says:

    realmente é isso mesmo mas se a gente tá passando por lutas não devemos falar o que que é que estamos passando não sei como fazer nesta hora devemos falar o que se passa com a gente dentro da gente ou devemos guardar não sei com agir me ensina por favor obrigada

    • manoel estevao lopes says:

      Irmã Lucia, A palavra que sai da boca é como a bala que sai de uma arma, após o tiro ela não volta mais. Em Mat. 12:36 Jesus disse que teremos que prestar contas ao Senhor no dia do Juízo, de toda palavra frívola que sair de nossa boca. Palavras frívolas são palavras inúteis sem valor algum, como: murmurar, reclamar, blasfemar, semelhantes às palavras torpes que é: xingamentos, palavrões e outros do tipo que devemos evitar. As palavras frívolas que sai de nossa boca impede o Espírito Santo de agir em nós. Nos momentos de lutas e de dificuldades devemos evitar a ira e a raiva. A ira provoca o palavrão, o ódio, a vingança, a blasfêmia. Nesse momento o que devemos fazer é Orar, pedir perdão, ser paciente e esperar em Deus e buscar domínio próprio com ajuda do Espírito Santo. Amém?

  2. Sandra says:

    Por favor o que devo fazer se não consigo fechar a minha boca, já pedi tanto a Deus, já prometi, mais não consigo calar, não sei mais o que fazer . Agradeço a opinião.p

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

You may use these HTML tags and attributes:

<a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>